Impresso em 22 de setembro de 2014 às 11h13

Esta página pode ser entrada no seguinte endereço:
http://www.jocelemsalgado.com.br/texto.aspx?idContent=560


Moderadores de apetite naturais

Fonte: Jornal A Cidade

No início deste mês, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou um relatório alertando a população e a classe médica para o uso indiscriminado de medicamentos moderadores de apetite, conhecidos como anorexígenos. No relatório, a Jife (Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes) revela que no Brasil houve um aumento de 500% no consumo de anorexígenos desde 1998. As entidades envolvidas reforçaram que esses medicamentos podem causar dependência, pois estão ligados a drogas como anfetamina.

A Jife recomenda uma análise cuidadosa sobre a emissão de receitas médicas e o lançamento de esforço nacional voltado para a educação dos profissionais da área médica e da população sobre o uso racional dessas substâncias.

O que mais preocupa é a venda livre dessas drogas pela internet, pois elas necessariamente precisam de rigorosos controles sanitários, além da obrigatoriedade de uma faixa de cor preta nos rótulos das embalagens com as advertências “Venda sob Prescrição Médica” e “O Abuso deste Medicamento pode causar Dependência”.

Na contramão do uso de medicamentos para perda de peso, a Ciência da Nutrição tem mostrado que é possível, por meio de substâncias naturais, obter saciedade, com conseqüente perda de peso, sem que haja qualquer efeito deletério para a saúde. Algumas fibras vegetais presentes em frutas, hortaliças e cereais integrais, apresentam um poder anorexígeno tão eficaz quanto o das drogas controladas pela Anvisa.

Fibras contidas em alimentos como aveia e soja - ou ainda extraídas de frutas e plantas como a pectina e a goma guar - são capazes de promover saciedade por estimularem a mastigação prolongada e retardar o esvaziamento gástrico após uma refeição. Essas fibras têm sido utilizadas com muito sucesso em alimentos para controle de peso, como os do Programa de Emagrecimento Sanafit, da Sanavita.

A coordenadora do Centro de Pesquisas Sanavita, que desenvolveu o programa, e mestre-doutora em Nutrição pela USP e Unicamp, Andréa Frias, garante que os anorexígenos naturais, usados desde o lançamento da linha Sanafit em outubro de 2004, são inofensivos, já que são de origem vegetal e não causam dependência. “Os estudos mostram que além de promover saciedade, o consumo desses anorexígenos naturais proporciona uma redução do risco de doenças como as cardiovasculares e o câncer de cólon, além de apresentar um efeito positivo sobre a glicemia”.

A professora titular de Nutrição da Esalq/USP (em Piracicaba) e presidente da Sbaf (Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais), Jocelem Salgado, acrescenta que o uso de drogas anoréxicas para tratamento da obesidade é capaz de conduzir à dependência química e a outros prejuízos ao organismo, além do chamado “efeito sanfona”.

“Em geral, quando o uso do medicamento é suspenso, o peso perdido retorna, às vezes em dobro. Isso porque a grande maioria dos usuários desse tipo de droga passa muito longe do tão importante processo de reeducação alimentar, que garantirá a manutenção do novo peso para o resto da vida”, explica.

Andréa ainda informa que, desta forma, o Programa Alimentar Sanafit segue a recomendação da Jife de oferecer informação à população sobre o uso racional de produtos para emagrecimento.

O Programa Sanafit pode ser encontrado em diversos estabelecimentos em todo o Brasil, como lojas exclusivas Sanavita, lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e na própria farmácia da USP.

Além disso, é possível adquiri-los pelo telefone 0800-554414 ou pela internet, no site www.sanavita.com.br